Facebook

Institucional

O Programa de Pós-Graduação em Epidemiologia da Universidade Federal de Pelotas (UFPel) surgiu, em 1991, por iniciativa de um grupo de docentes da UFPel que já vinha trabalhando com pesquisas epidemiológicas há dez anos. Esse grupo formou o Centro de Pesquisas Epidemiológicas (CPE) e foi responsável por um dos maiores programas de estudos epidemiológicos longitudinais do mundo, denominado Coortes de Nascimento de Pelotas.

O primeiro estudo realizado pelo grupo inicial foi a Coorte de Nascimento de 1982 (Pelotas-RS), que se baseia na identificação e no acompanhamento de todos os nascidos em Pelotas naquele ano. O estudo abrangeu 5.914 recém-nascidos e foi tão bem conduzido que, no ano seguinte ao seu início, conquistou financiamento da Organização Mundial da Saúde. Esse estudo agregou muitos pesquisadores e rendeu a produção de dezenas de artigos científicos publicados nas principais revistas nacionais e internacionais.

Este tipo de estudo era inédito no país, pois por ser muito complexo envolvia muitas pessoas no trabalho de campo, tornando os custos muito altos para sua execução. Mas devido ao êxito do estudo, muitos pesquisadores da área da saúde passaram a se interessar, criando a necessidade da qualificação. Naturalmente, docentes da UFPel ligados ao CPE desenvolveram um programa de pós-graduação na área em que tinham maior domínio: Epidemiologia.

Surge, em 1991, o Curso de Mestrado em Epidemiologia, ligado ao Departamento de Medicina Social da UFPel, dando origem ao Programa de Pós-Graduação em Epidemiologia. Em sua primeira avaliação, feita pela Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (Capes/MEC) em 1995, o curso recebeu o conceito A. Em 1997, a coordenação do mestrado recebeu recomendação da Capes para iniciar o Curso de Doutorado em Epidemiologia, o que foi feito.

Em 2003, após a reformulação da avaliação da Capes, em que as notas passaram a ser de 1 a 7, o PPG em Epidemiologia da UFPel recebeu nota 6. E na avaliação seguinte, em 2007, recebeu a nota máxima, 7, com a qual se mantém até os dias de hoje. A qualidade dos trabalhos produzidos nos cursos de mestrado e de doutorado e a credibilidade de seu corpo docente incentivaram o Ministério da Saúde a solicitar ao Programa a criação de um curso de mestrado profissional, exclusivo para trabalhadores da rede pública de saúde. Denominado Saúde Pública Baseada em Evidências, o curso teve duas turmas: a primeira iniciou em 2008 e gerou o livro publicado em 2010 “Saúde Pública Baseada em Evidências”, contendo a coletânea de resumos de todos os 22 trabalhos finais, além de 19 artigos produzidos por alunos oriundos de seis municípios do Rio Grande do Sul, de duas cidades de Santa Catarina e de uma do Paraná. A última turma teve início em 2012 e gerou 24 trabalhos finais.

Galeria dos ex-coordenadores:

1991/1995

Cesar Gomes Victora

1995/1997

Fernando Barros

1997/2001

Luiz Augusto Facchini

2001/2006

Aluísio Jardim Dornellas de Barros

2006/2009

Ana Maria Baptista Menezes

2009/2013

Denise P. Gigante

2013/2015

Iná da Silva dos Santos

2015/2016

Pedro Curi Hallal

2016/2018

Bernardo Lessa Horta

2018/2020

Helen Denise Gonçalves da Silva



Programa de Pós-Graduação em Epidemiologia - Centro de Pesquisas Epidemiológicas