Facebook

Teses e Dissertações


2008


Aluno:Vera Maria Freitas da Silveira

Título: Sindrome metab√≥lica, condi√ß√Ķes de nascimento e amamenta√ß√£o na coorte de 1982 em Pelotas, RS, Brasil

E-mail:veramfs@terra.com.br

Área de concentração:-

Orientador:Bernardo Lessa Horta

Banca examinadora:Aluísio Barros, Denise gigante e Sandhi Barreto

Data defesa:31/07/2008

Palavras-chave:Sindrome metab√≥lica; amamenta√ß√£o ; condi√ß√Ķes de nascimento

ARTIGOS

 

1- Metabolic syndrome in the 1982 Pelotas cohort: effect of contemporary

socioeconomic status and life style

 

ABSTRACT

 

Objectives: Describe the prevalence of metabolic syndrome, according to NCEPATP III and IDF criteria, and its association with contemporary lifestyle factors.

 

Methods: In 2004, 4297subjects of 1982 Pelotas Birth Cohort were evaluated, and metabolic syndrome was assessed in a subsample of 1309, comprising all small-forgestational age subjects and a random sample of the remaining.

 

Results: Prevalence of metabolic syndrome (MS) was 7.8% and 12.9% by NCEPATPIII and IDF respectively. None of the behavioral variables (smoking, alcohol intake, and physical activity) were associated with MS, with the exception of a RR 1.76 (95% CI 1.02-3.03) of MS according to IDF in men with a high fat consume. In the multivariate analysis, BMI was associated with MS among men ‚Äď overweight [RR: 3.70 (95%CI 1.30-5.62)], and obese subjects [RR: 11.81 (95% CI 6.31-22.11)]. In women, family income and schooling were inversely associated with prevalence of MS, overweight showed a RR of 4.10 (95% CI 1.20-4.03) and obesity of 23.9 (95%CI 9.22-62.00) after adjustment for

family income and physical activity.

 

Conclusion: Metabolic syndrome was more prevalent among men, and obesity was the main risk factor. Was obesity eliminated, MS would be reduced by 49.0% and 38.0% according to NCEP-ATPIII and IDF respectively.

 

Keywords: metabolic syndrome; risk factors, birth cohort

 

2- Peso ao Nascer e S√≠ndrome Metab√≥lica em adultos ‚ÄďMeta-an√°lise

 

RESUMO

 

OBJETIVO: Analisar as evidências na literatura do efeito do peso ao nascer obre a ocorrência de síndrome metabólica em adultos.

 

M√ČTODOS: Foram pesquisados nas bases PubMed and LILACS, no per√≠odo e 1966 a maio de 2006, artigos publicados usando os seguintes descritores: birth weight‚ÄĚ , ‚Äúbirthweight‚ÄĚ , ‚Äúintra-uterine growth restriction (IUGR)‚ÄĚ, fetal growth retardation‚ÄĚ, ‚Äúmetabolic syndrome‚ÄĚ, ‚Äúsyndrome X‚ÄĚ, ‚ÄúReaven‚Äôs¬†syndrome‚ÄĚ. Foram selecionados 224 estudos considerados eleg√≠veis que elatavam estimativas de associa√ß√£o entre peso ao nascer e s√≠ndrome metab√≥lica u seus componentes. Desses, 11 apresentavam raz√Ķes de odds e foram usados

na meta-an√°lise.

 

RESULTADOS: Com exceção de dois estudos, os demais relataram associação nversa entre peso ao nascer e síndrome metabólica. Comparadas com pessoas e peso normal, a razão de odds do efeito combinado naquelas que nasceram om baixo peso foi de 2,53 (IC 95%: 1,57;4,08). O gráfi co de funil sugere iés de publicação e o resultado permanece estatisticamente signifi cativo esmo em estudos com mais de 400 pessoas (efeito combinado 2,37; IC 95%: ,15;4,90).

 

CONCLUS√ēES: Baixo peso ao nascer aumenta o risco de s√≠ndrome metab√≥lica a idade adulta.

 

DESCRITORES: Peso ao nascer. Síndrome metabólica. Doenças utricionais e metabólicas. Meta-análise.

 

 

3- O efeito das condi√ß√Ķes de nascimento e da amamenta√ß√£o sobre S√≠ndrome Metab√≥lica em adultos jovens de uma coorte de nascimento

 

RESUMO

 

Objetivos: Avaliar se variáveis maternas (peso no início da gestação, idade, tabagismo, ganho de peso na gestação) além do peso ao nascer e amamentação estão associados à ocorrência de síndrome metabólica aos 22 anos.

 

Métodos: Em 2004-5, 4297 componentes da coorte de nascidos em 1982 em Pelotas foram entrevistados, examinados e forneceram amostra de sangue. Uma sub-amostra de cerca de 1400 homens e mulheres não grávidas( todos os nascidos pequenos para a idade gestacional, com acompanhamento aos 2, 4 e 23 anos e uma amostra dos nascidos com peso adequado) foram avaliados para a presença dos componentes de síndrome metabólica pelos critérios do NCEP-ATP III.

 

Resultados: A prevalência de Síndrome Metabólica (SM) foi maior entre os

homens (9,5%) do que entre as mulheres (5,9%), p=0,04. As vari√°veis s√≥cio-demogr√°ficas e econ√īmicas maternas (cor da pele, idade, renda e escolaridade) n√£o estiveram associadas √† ocorr√™ncia de SM. O fumo materno durante a gesta√ß√£o apresentou RR de 1,66(IC 95%1,05-2,64) de SM entre seus filhos, apenas na an√°l√≠se bruta. O √≠ndice de massa corporal materno (IMC) pr√©-gestacional e o peso ao nascer n√£o apresentaram associa√ß√£o com o risco de s√≠ndrome metab√≥lica. Dura√ß√£o de amamenta√ß√£o maior ou igual a 6 meses esteve associada com SM com RR 2,09(IC 95% 0,94-4,65) p=0,04 apenas entre os homens.

 

Conclus√Ķes: Nesta amostra, a ocorr√™ncia de SM n√£o esteve associada ao peso ao nascer ou caracter√≠sticas s√≥cio-demogr√°ficas e econ√īmicas maternas e, ao contr√°rio de outros estudos na literatura, esteve diretamente associada √† dura√ß√£o da amamenta√ß√£o.

 

Palavras-chave: Síndrome metabólica; amamentação; condição de nascimentos


Programa de Pós-Graduação em Epidemiologia - Centro de Pesquisas Epidemiológicas