Facebook

Teses e Dissertações


2015


Aluno:In√°cio Crochemore Mohnsam da Sllva

Título: Associa√ß√£o entre pr√°ticas de atividade f√≠sica e caracter√≠sticas do ambiente

E-mail:inacio_cms@yahoo.com.br

Área de concentração:

Orientador:Pedro Curi Hallal

Banca examinadora:Alex Florindo, Marlos Domingues e Helen Gonçalves

Data defesa:14/01/2015

Palavras-chave:Coorte 1982, Coorte 1993, Coorte 2004

Os benef√≠cios da atividade f√≠sica para a sa√ļde em n√≠vel individual e populacional j√° est√£o bem documentados, assim como as baixas preval√™ncias de estilos de vida ativo em todas as faixas et√°rias. Fatores associados a maiores n√≠veis de atividade f√≠sica s√£o importantes para elabora√ß√£o de estrat√©gias de promo√ß√£o deste comportamento. Neste contexto, o ambiente onde as pessoas vivem merece aten√ß√£o especial, pois ser ou n√£o ativo fisicamente est√° al√©m de uma simples escolha individual. Uma descri√ß√£o dos n√≠veis de atividade f√≠sica em crian√ßas (7 anos), adolescentes (18 anos) e jovens adultos (30 anos) foi realizada no √ļltimo acompanhamento das coortes de nascimento de 2004, 1993 e 1982 da cidade Pelotas (entre 2010 e 2013), respectivamente. A pr√°tica de atividade f√≠sica total (todos os dom√≠nios) foi avaliada por meio de aceler√īmetros (monitores de atividade f√≠sica) por utilizados um per√≠odo de quatro a sete dias. As crian√ßas da coorte de 2004 e os adolescentes da coorte de 1993 praticaram em m√©dia 45 e 43 minutos de atividade f√≠sica moderada e vigorosa (AFMV) por dia, respectivamente. J√° os jovens adultos da coorte de 1982 realizaram em m√©dia 25 minutos de AFMV por dia. Al√©m disso, a pr√°tica de atividade f√≠sica foi menor entre as participantes do sexo feminino e aqueles pertencentes √† parcela mais rica da popula√ß√£o. Especificamente entre os participantes da coorte de 1993, foi avaliada a associa√ß√£o entre atividade f√≠sica e o ambiente f√≠sico do local onde os mesmos residiam. A avalia√ß√£o foi realizada por meio da geocodifica√ß√£o dos membros da coorte e as vari√°veis de ambiente foram geradas a partir do Sistema de Informa√ß√Ķes Geogr√°ficas (SIG). Maior ilumina√ß√£o p√ļblica foi positivamente associada com AFMV total, enquanto que a maior propor√ß√£o de ruas pavimentadas e maior m√©dia de renda em torno da resid√™ncia dos participantes foram associadas negativamente com AFMV total. Residir perto da orla da Lagoa dos Patos foi associado a um odds tr√™s vezes maior de realiza√ß√£o de AFMV, especificamente no lazer (OR: 3.3; CI95%: 1.37; 8.02). Al√©m disso, entre os jovens pertencentes ao tercil intermedi√°rio de n√≠vel socioecon√īmico, morar em locais com maior ilumina√ß√£o p√ļblica e pr√≥ximo de ciclofaixas/ciclovias aumentou o odds de realiza√ß√£o de atividade f√≠sica no deslocamento (OR = 1.22; 95%CI: 1.01; 1.47 e OR = 1.77; 95%CI: 1.05; 2.96, respectivamente). Os espa√ßos p√ļblicos de lazer, que n√£o influenciaram a pr√°tica de atividade f√≠sica dos jovens, foram foco de um estudo espec√≠fico sobre sua qualidade e distribui√ß√£o geogr√°fica na cidade. Evidenciou-se, principalmente, a falta de adequa√ß√£o dos espa√ßos para a pr√°tica de atividade f√≠sica e uma distribui√ß√£o geogr√°fica desigual, com concentra√ß√£o desses espa√ßos majoritariamente em setores censit√°rios com maior m√©dia de renda e menor densidade populacional. Por fim, uma revis√£o sistem√°tica da literatura foi realizada sobre a associa√ß√£o entre atividade f√≠sica e seguran√ßa contra crimes, um dos fatores ambientais que potencialmente influencia estilos de vida ativo. O conjunto de evid√™ncias dispon√≠veis n√£o identificou a exist√™ncia desta associa√ß√£o, tanto na popula√ß√£o geral de adultos, quanto em grupos espec√≠ficos como mulheres e idosos.


Programa de Pós-Graduação em Epidemiologia - Centro de Pesquisas Epidemiológicas