Facebook

Teses e Dissertações


2019


Aluno:Vanessa iribarrem Avena Miranda

Título: Suplementa√ß√£o de vitaminas e sais de ferro na gesta√ß√£o: associa√ß√£o com Diabetes Mellitus Gestacional

E-mail:

Área de concentração:

Orientador:Andr√©a Homsi D√Ęmaso

Banca examinadora:Noemia tavares, Iná Santos e Maria Cecilia Assunção.

Data defesa:12/04/2019

Palavras-chave:

Miranda, VIA. Suplementação de vitaminas e sais de ferro na gestação: associação com Diabetes Mellitus Gestacional. 2019. Tese (Doutorado).
Programa de Pós-graduação em Epidemiologia. Universidade Federal de Pelotas.


O per√≠odo gestacional exige mais energia e maior demanda nutricional de micronutrientes, e embora a ingest√£o adequada de alimentos continue sendo o meio preferencial para atender tais demandas, algumas necessidades s√£o dif√≠ceis de alcan√ßar na gravidez apenas com a dieta. Nesse sentido, em resposta √† algumas defici√™ncias, alguns pa√≠ses fortificam alimentos selecionados e/ou recomendam o uso de suplementos no per√≠odo pr√©-natal. No Brasil, o Minist√©rio da Sa√ļde promove algumas a√ß√Ķes e programas de suplementa√ß√£o que abrangem o grupo das gestantes e objetivam reduzir as car√™ncias nutricionais. Nesse sentido, diretrizes atuais da Organiza√ß√£o Mundial de Sa√ļde e do Minist√©rio da Sa√ļde preconizam a suplementa√ß√£o de rotina com ferro e √°cido f√≥lico em todas as gestantes, como forma a satisfazer as necessidades fisiol√≥gicas destes micronutrientes. Entretanto, apesar dos benef√≠cios dessa pr√°tica para as gestantes, alguns estudos t√™m sugerido que a suplementa√ß√£o de ferro em mulheres n√£o-an√™micas no in√≠cio da gesta√ß√£o, pode trazer efeitos adversos, como maior risco de desenvolver diabetes gestacional.
Utilizando dados da Coorte de Nascimentos de 2015 de Pelotas, essa tese teve como objetivos principais avaliar o uso de vitaminas, compostos de ferro e √°cido f√≥lico durante os trimestres da gesta√ß√£o e verificar se havia desigualdade socioecon√īmica na utiliza√ß√£o; e avaliar se as gestantes n√£o-an√™micas que utilizaram suplementos de ferro estavam em maior risco de desenvolver diabetes mellitus gestacional que aquelas que n√£o utilizaram a suplementa√ß√£o.
Os resultados do primeiro artigo demonstraram que 30% das mulheres avaliadas não utilizaram suplementação de ácido fólico e ferro durante a gestação. As gestantes mais pobres apresentaram maior prevalência de uso de ferro. Por outro lado, o ácido fólico apresentou maior prevalência de uso
8
entre as m√£es mais ricas, apontando desigualdade socioecon√īmica contra as menos favorecidas.
O segundo artigo avaliou a associação entre o uso de suplementos de ferro entre as gestantes e o risco de desenvolver diabetes gestacional. O mesmo tema foi avaliado através do terceiro artigo, que foi uma revisão sistemática da literatura. Os resultados destes estudos sugerem que o uso de ferro de rotina em gestantes não anêmicas não aumenta o risco de desenvolvimento de diabetes gestacional.
Tamb√©m foi produzido um artigo de valida√ß√£o sobre a validade do autorrelato de anemia e do uso terap√™utico de suplementos de ferro durante a gravidez e, embora a sensibilidade e a especificidade de ambos n√£o sejam altas, os dois autorrelatos avaliados poder√£o ser √ļteis em estudos populacionais entre pu√©rperas em cidades brasileiras de porte m√©dio com contextos sociais e de aten√ß√£o ao pr√©-natal semelhantes aos de Pelotas.


Palavras-chaves: estudo de coorte, gravidez, vitaminas, sais de ferro, diabetes gestacional


Programa de Pós-Graduação em Epidemiologia - Centro de Pesquisas Epidemiológicas